terça-feira, 31 de maio de 2011

Bons hábitos

O aperto de mão

Os historiadores e folcloristas acreditam que o aperto de mão seria um gesto de boa vontade; o homem primitivo, que andava sempre armado, estendia a mão vazia para mostrar a alguém que não portava armas e desejava a paz. Por essa razão, as mulheres que não carregavam armas, tampouco tinham o hábito de apertar as mãos.
*
Por onde anda a boa educação?

O texto "O aperto de mão" me fez lembrar de que há tempos abolimos esse gesto simbólico, esse cumprimento respeitoso, o simples ato de se apertar a mão de alguém demonstrando respeito e educação. Aliás, parece que atualmente tudo anda em falta nas relações humanas, desde expressões como “Com licença”, “Por favor”, “Desculpe-me”, “Obrigado(a)”, praticamente desapareceram de nosso vocabulário.

Contornar essa situação não é difícil, pode-se começar em casa, no trabalho, ações entre amigos que combatam essas indiferenças e desrespeito hoje e sempre.

Todos querem e gostam de ser bem tratados. Então, que tal se começar com um sorriso? Basta isso para que o outro decodifique a mensagem e aja igual, afinal um “Bom dia!’ não custa tanto assim, e a educação que deveria vir de berço não esteja somente nas páginas amareladas dos manuais de bons modos e boas maneiras empoeiradas nas estantes.
Culpemos o mundo moderno, afinal, a pressa é inimiga da perfeição. Não se tem tempo para essa vida corrida e breve. Lembrei-me até da frase de um sociólogo: “Quem tem fome, tem pressa”. Temos sim, fome de muita coisa, fome de saber, fome de se resolver problemas 'para ontem'. A vida é uma correria só, e quase ninguém tem tempo nem para respirar quanto mais para a boa educação; conclui-se que o tempo é o ‘culpado’ de tudo. Tem gente até que  brinca dizendo que o dia deveria ter mais de vinte e quatro horas.

Tem-se pressa de viver para se chegar ao fim mais rápido. Pressa de se chegar a lugar nenhum em altas velocidades, o trânsito louco, tornou-se um campo de batalha. A educação ficou em algum lugar do passado, se perdeu por aí... ainda é possível encontrá-la?

Cobramos do outro um ato que nós próprios deixamos cair no esquecimento. Sabemos que não somos deselegantes, tampouco mal-educados. Não se preocupe, voltemos à sala de aula da vida e reaprenderemos a conviver com as diferenças, porém com bons hábitos e atitudes.

Tudo de bom pra você e obrigada pela atenção! Beijos e flores!
Eunice Bernal

domingo, 29 de maio de 2011

Flash Mobs

Flash Mobs são pessoas escolhidas para saírem dançando em lugares públicos, previamente escolhidos, para uma performance ao som de músicas de sucessos e uma coreografia bem ensaiada.

Este aqui, na apresentação do Black Eyed Peas ao ar livre em Chicago, no programa de Oprah, ficou show, literalmente. Taí, gostei! Divirta-se!

Black Eyed Peas I got a feeling on Oprah Chicago Flashmob 24th.flv

sábado, 28 de maio de 2011

Amor e outros bichos...



Nada impede que um pássaro se apaixone por um peixe,
mas onde construiriam um ninho?...

quinta-feira, 26 de maio de 2011

Criando Raízes (2)


E então, valeu a pena?

Enquanto você se divertia,
Eu fazia poesia.
Enquanto você ia,
Eu voltava.
Enquanto você procurava,
Eu descobria.
Enquanto você sonhava,
Eu vivia.
Enquanto você falava de amor,
Eu fazia.
Enquanto você pensa,
Eu tiro conclusões...

Valeu a pena esperar!
E.B.

segunda-feira, 23 de maio de 2011

Vale a pena LER de novo


Projeto Mil Casmurros (2008)
A maior leitura coletiva de Machado de Assis que se tem registro, foi  criada pela Rede Globo em 2008 para comemorar o centenário de seu falecimento e também para divulgar a minissérie CAPITU, uma adaptação do romance Dom Casmurro. Na época, para participar, bastava acessar o seguinte site: http://www.milcasmurros.com.br/ , escolher um dos trechos do livro e gravar. Dava para fazer tudo no próprio site. Só era necessário ter uma webcam e um microfone.
O tempo passou, mas não me esqueci daquele momento formidável e da brilhante ideia. Vale a pena ler de novo, principalmente por Machado de Assis que considero o maior escritor brasileiro.  Aliás, a obra Machadiana é para ser lida todos os dias, não acha?
Fica o registro para relembrar as mil faces dos que participaram dessa roda de leitura.

Clique, ouça e divirta-se!   MILCASMURROS
Karenina Rostov

domingo, 22 de maio de 2011

Discordância


"Nós pega o peixe." Eis a frase da discordância, matéria em todos os jornais e revistas desta semana. A boa expressão oral TAMBÉM é necessária.

Gosto muito de ler a matéria de Arthur Dapieve do Segundo Caderno do jornal O Globo. Achei bem oportuno o assunto abordado nesta sexta-feira, dia 20 de maio referindo-se a uma das frases "pérolas" constantes do livro distribuído pelo Programa Nacional do Livro Didático, do MEC, a 485 mil estudantes jovens e adultos. Livro que, ironicamente, recebeu o título "Por uma Vida Melhor", da coleção "Viver, Aprender".

Como alguém vai viver melhor, viver e aprender, falando "Nós pega o peixe" ou "Os menino pega o peixe"? Como bem disse a escritora Ana Maria Machado, imortal da Academia Brasileira de Letras (ABL): "Para evitar a noção de "errado", prefere-se, então esse paternalismo condescendente de não corrigir". Contrariamente a essa postura paternalista a referida autora ressalta que "A escola deve ajudar o cidadão a se tornar um poliglota em sua própria língua, capacitando-o a utilizar registros diversos de linguagem em circunstâncias diferentes." Atentando-se, porém, a um suposto "preconceito linguistico".

E Dapieve bem lembra que "herrar é umano", com ressalvas: "Porém, universitários prestes a se formar - bem como profissionais já formados, claro - cometem erros de português de vez em quando. Uma concordância aqui, uma crase lá. É normal, seja pela má formação de base, seja pela pressa do fechamento, mas não significa que possa ser aceitável. O jornalista deve ter tolerância zero com erros." O jornalista acrescenta dizendo que  o erro contamina o tecido gramaticalmente sadio que está em volta, levando o leitor à dúvida.

E o ministro Fernando Haddad quando consultado para dar seu parecer defende a pasta fazendo, claro, bom uso das concordâncias corretas: "Não somos o Ministério da Verdade. (...) Já pensou se tivéssemos que dizer o que é certo ou errado? Aí, sim, o ministro seria um tirano."
E o salário do professor, Óh!
Karenina Rostov

sexta-feira, 20 de maio de 2011

Um voo extraordinário - RIO DE JANEIRO...

click e confira!

Um voo panorâmico pelo Rio de Janeiro, pela Cidade Maravilhosa. 

... E O RIO CONTINUA LINDO...

Lindo, maravilhoso, gostoso, delicioso, saboroso, te amo... tudo de bom... estou morrendo de saudades.
Beijos e flores!

Karenina Rostov




Fotos: E.B.
Não acha?

quinta-feira, 19 de maio de 2011

Professora nota mil

Professora crítica a educação

A professora do Rio Grande do Norte Amanda Gurgel virou heroína da causa da classe, por melhores salários, nas redes sociais. Um vídeo no qual ela silencia os deputados do RN em audiência pública quando fala sobre a situação crítica da educação já tem mais de 54 mil visualizações no You Tube. Desde o começo da tarde desta quarta-feira (18) o nome “Amanda Gurgel” já está na lista brasileira dos Trending Topics, no Twitter.

Em seu depoimento, Amanda Gurgel acaba fazendo um resumo preciso sobre o quadro da educação no Brasil apresentando seu contracheque de R$ 930 reais. “Como as pessoas até agora, inclusive a secretária Bethania Ramalho, apresentaram números, e números são irrefutáveis, eu também vou fazê-lo. Apresento um número de três algarismos apenas, que é o do meu salário, de R$ 930".

A professora continua seu discurso dizendo que "os deputados deveriam estar todos constrangidos com a educação no estado do Rio Grande do Norte e no Brasil. Não aguentamos mais a fala de vocês pedindo para ter calma. Entra governo, sai governo, e nada muda. Precisamos que algo seja feito pelo estado e pelo Brasil. O que nós queremos agora é objetividade”.
*
Veja o vídeo.
Lei da mordaça nunca mais! Merece o registro.


Alberto Cavalcanti, o Cineasta do Mundo (2)


Night Mail - (1936)

Eis um vídeo de Alberto Cavalcanti realizado em 1936, na Inglaterra.  Trata-se de Night Mail sobre o trem noturno do correio entre Londres e Escócia. Este documentário teve a colaboração de Benjamin Britten e W.H. Auden recitando seu poema em sincronia com o movimento do trem. Um clássico e eterno para se guardar com carinho.

Maravilhoso. Apreciem!


En el trabajo (7)

"Antes de imprimir pense em sua responsabilidade com o meio ambiente."

É a mensagem que recebo em meu PC do trabalho  quando preciso imprimir algum documento.

Politicamente correta, não?  Reproduzam esta ideia.


segunda-feira, 16 de maio de 2011

Almas à Venda

A alma fica em uma pequena glândula localizada no meio do cérebro.  René Descartes

Almas à venda - Cold Souls, EUA / 2009

Almas à Venda é um filme com roteiro criativo, com pitadas de ironia e humor negro na medida certa.

A trama acompanha o ator Paul Giamatti como que interpretando a si próprio aos 47 anos de idade, atravessando uma fase difícil de sua vida e demonstrando uma certa fobia, angústia e desespero. Ele diz-se preso a algo que não sabe explicar exatamente o que é, uma espécie de crise existencial,  não conseguindo separa-se do personagem que está no momento interpretando no teatro, o  Tio Vânia de Anton Tchekhov como se ambos fossem um único ser. O artista acrescenta dizendo que  não quer chegar aos 60 anos e nem saberia o que fazer se vivesse até essa idade.

- É preciso se se libertar. - Diz Paul.

Os primeiros minutos revelam o filme. O ator tem uma alma inquieta e ele a compara a um tumor que cresce a cada dia. Em determinados momentos personagem e ator  mesclam-se a um mesmo papel,  tornando-os único, às vezes não dando para distinguir quem é quem ou, onde começa um e termina o outro; quem estaria interpretando quem  no momento, por exemplo, quando ele diz que viver com a alma aprisionada é loucura.

Tio Vânia é o protagonista da peça teatral do escritor russo Tchekhov que o ator Paul Giamatti está ensaiando no momento,  e ele reclama constantemente dizendo que todos os componentes são desagradáveis e  tão cheios de piedade.

Sobre a obra TIO VÂNIA

Tio Vânia é uma das obras primas do escritor Anton Tchekhov, um clássico da literatura russa datado de 1897 que tem como marca sua atualidade.

Em 'Tio Vânia', o protagonista é um homem que vê a si mesmo, e é visto pelos outros, como alguém secundário. Resta-lhe a condição de tio, um parentesco indireto, porque não se casou, não tem bens, não obteve amor ou reconhecimento pelo esforço que fez para sustentar a família. Apenas duas frágeis esperanças lhe restam: o médico que planta árvores e a sobrinha que confia na salvação eterna.

Trata das relações entre os membros de uma família de origem rural e os que vivem na cidade. Os diferentes valores, as conquistas, os sonhos e as propostas de vida são cenário de uma grande reflexão sobre o respeito às diferenças individuais.

O ator resolve contratar os serviços de uma empresa de 'Depósito das Almas'. O médico que o examina conversa demoradamente fazendo papel de psicólogo pedindo a ele que pense bastante, que analise e olhe a sua alma com atenção e verifique o que o incomoda antes de armazená-la para que não se arrependa depois. 

Giamatti costuma filosofar com seus botões assuntos  interessantes e fala principalmente sobre a vida; diz, por exemplo, que ela consiste em fazer os que estão a nossa volta feliz, e de que todo mundo, sem exceção quer isso. Uau!

E o médico diz que ao se retirar a alma pode-se ver a sua cor e a partir dela o seu significado. Essa empresa ficcional diz que a maioria tem a cor cinza. A partir daí é analisar qual é o significado e sua simbologia. E continua dizendo que, ao se extrair a alma, se manterá e se prevalecerá a consciência e ela não será em hipótese alguma afetada.


Giamatti pergunta quanto tempo seria possível viver sem a alma. E o médico responde-lhe que é um negócio à critério do paciente, que é ele que escolhe o prazo e o tempo que achar necessário. Depois de horas de conversa o ator se sente seguro e assina um contrato com a empresa e entrega a sua alma e escolhe outra. 

E como seria viver sem a alma? Você já se perguntou isso? E se alguém gostar da sua alma e não mais a devolver?

A suposta empresa não retira a alma completamente, apenas 95% dela, e o cliente fica com seus 5% e ao final o médico faz a pergunta de praxe:

- E então? Como se sente?
E o paciente, de bom humor lhe responde:

-Vazio, leve e entediado. No geral me sinto ótimo.

É algo interessante e estranho ao mesmo tempo saber que sua alma saiu de seu corpo e recebeu uma  outra como se fosse um 'simples' transplante de fígado, ou talvez de coração... 

Depois da retirada da alma do ator, o médico lhe pergunta se ele pode ou quer dar uma olhada nela. E o ator concorda. Olha sua alma dentro de um pote e fica admirado e surpreso. O médico também olha e diz não acreditar como algo tão pequeno pode pesar tanto.

– Sua alma é pequena.  - Diz o médico deixando-a cair no chão. Ao ver a cena o ator fica irritado e lhe responde para que ele tenha mais cuidado pois sua alma pode estar danificada.

– Não! Sua alma é resistente. Retruca o médico.

Paul Giamatti antes de sair do consultório se pesa e ao olhar para a balança diz estar se sentindo mais leve.

E as ironias não param por aí. Há uma sequência de situações insólitas. No filme em questão mostra que algumas almas literalmente se perdem no meio do caminho; outras são trocadas; e muitas parecem não pertencer ao respectivo dono; corpo e alma, às vezes, não combinam; a pele e o comportamento não se coadunam.

Paul Giamati escolheu uma nova alma. Escolheu a alma de um poeta russo e a partir daí, nos ensaios da peça, seu diretor notou mudança radical em sua atuação, e diz que o personagem ganhou uma nova dimensão para melhor, enquanto que, em família a esposa estranhou seu comportamento, dizendo não reconhecê-lo mais e de que ele parecia agora evitá-la. Ela pensou que estava sendo traída.  E Giamatti conseguiu finalmente interpretar Tio Vania sem ficar angustiado.

- O que devo fazer?
- Escolha a sua alma.
- Quero uma alma russa.
- ÓTIMA ESCOLHA!
- É alma masculina ou feminina?
- Isso não posso te responder.
- Quero minha alma de volta!
- Pode entrar em contato com o doador?
- Impossível, não é permitido na Rússia tráfico de almas.
Ficção ou não, você venderia a sua alma? E se fosse possível comprar, compraria de quem? O que acontece com a alma quando o dono dela morre?

- Eu não sei...
- Nunca perguntou?
- O que aconteceu com a alma de Olga? Eu não sei...
- Ela morreu e a sua alma simplesmente desapareceu...
Sua alma está na Rússia, em São Peterburg, com uma atriz russa sem talento. Ela queria a alma de alguém famoso e pensa que está com a do ator Al Pacino e a sua alma encaixou direitinho no corpo dela, e agora ela está perfeita, está atuando maravilhosamente bem, ao ponto de não mais querer devolvê-la.

Este filme é um presente inquietante para a alma de todo amante da sétima arte.

Karenina Rostov

*****
Créditos:
Cold Souls, EUA / 2009
Direção Sophie Barthes
Com: Paul Giamatti, Armand Schultz, Michael Tucker, Dina Korzun
10 Anos – 101 min.


sábado, 14 de maio de 2011

Na falta do que fazer...

escrevo poesia...

Fórmulas de amar existe?

Saí para pensar sobre os últimos acontecimentos
Algo que está ocorrendo comigo e ainda não sei
Procurei nos livros, e nada encontrei
Incomoda aqui dentro do peito alguns momentos.

Redescobrir o que já vivi um dia
Ter certeza de que um adulto ainda pode sonhar
Não tem receita, mas sabe que pode e deve amar
Nada de fórmula mágica ou antídoto, talvez sabedoria

Sim, sabedoria para discernir de outros sentimentos
Amizade, companheirismo, seja lá o que for...
Viver intensamente todos os vãos momentos
Na companhia da pessoa amada e mundo afora compor...
Eunice Bernal

sexta-feira, 13 de maio de 2011

Para gostar de LER


A Democratização da Leitura

Eis uma ótima dica para quem gosta de ler e não tem, digamos, tempo para ir a uma livraria ou biblioteca.

Qual é o seu gênero preferido? Ficção? Contos? Romances? Poesia? Agora ficou fácil: é só escolher aqui nesta estante  http://www.4shared.com/dir/YCPyAfnw/Livros.html# e divertir-se.


quarta-feira, 11 de maio de 2011

Perereca Pantaneira (2)


A minha perereca de estimação anda jururu ultimamente: não quer saber de conversa fiada com ninguém muito menos ouvir ou falar. Melhor deixar quieta... não?

segunda-feira, 9 de maio de 2011

Oh, Cupido...

Essa imagem me fez lembrar da música "Estúpido Cupido" de Celly Campello. By the way, gosto dessa sensação agradável, de sentir algo no ar... a presença do cupido bem próximo acampado por estas bandas... sou uma eterna apaixonada...

Eu faria a releitura da melodia: Oh, cupido NUNCA me deixe em paz... meu coração ADORA amar...hey, hey, Oh, cupido, fique SEMPRE perto de mim...

*
Oh! oh! Cupido!
Vê se deixa em paz
(Oh! oh! Cupido!)
Meu coração que
Já não pode amar
(Oh! oh! Cupido!)
Eu amei há
Muito tempo atrás
(Oh! oh! Cupido!)
Já cansei de
Tanto soluçar
(Oh! oh! Cupido!)

Hei, hei, é o fim
Oh, oh, cupido!
Vá longe de mim
(Oh! oh! Cupido!)
...

domingo, 8 de maio de 2011

Fernando PessoaSSSSSSS


"FERNANDO PESSOA, PLURAL COMO O UNIVERSO"












Fotos: E.B.

Heterônimos

Ao contrário dos pseudônimos - vários nomes para uma mesma personalidade - os heterônimos constituem várias pessoas que habitam um único poeta. Cada um deles tem a sua própria biografia, sua temática poética singular e seu estilo específico. É como se eus fragmentados e múltiplos explodissem dentro do artista, gerando poesias totalmente diversas. O próprio Fernando Pessoa explicou os seus heterônimos:

Por qualquer motivo temperamental que me não proponho analisar, nem importa que analise, construí dentro de mim várias personagens distintas entre si e de mim, personagens essas a que atribuí poemas vários que não são como eu, nos meus sentimentos e idéias, os escreveria.

Assim têm estes poemas de Caeiro, os de Ricardo Reis e os de Álvaro de Campos que ser considerados. Não há que buscar em quaisquer deles idéias ou sentimentos meus, pois muitos deles exprimem idéias que não aceito, sentimentos que nunca tive. Há simplesmente que os ler como estão, que é aliás como se deve ler.
*
Autopsicografia

O poeta é um fingidor.
Finge tão completamente
Que chega a fingir que é dor
A dor que deveras sente.

E os que lêem o que escreve,
Na dor lida sentem bem,
Não as duas que ele teve,
Mas só a que eles não têm.

E assim nas calhas de roda
Gira, a entreter a razão,
Esse comboio de corda
Que se chama coração.
Fernando Pessoa - Cancioneiro
*
Faz um tempinho que estava querendo ir a esta exposição e estava sempre adiando... Até que alguém me arrastou até lá. Fui! Maravilhoso! Tudo de bom! Estupendo! Uma senhora aula de Literatura Portuguesa! Ainda estou digerindo...

E você? Vai perder essa dica? Vai lá  também no CCC - RJ.

quinta-feira, 5 de maio de 2011

Para não dizer que não falei das flores

As flores têm um significado particular. Caso esteja pensando em oferecê-las a alguém, que tal verificar primeiro o que elas podem querer dizer?!

Pensando bem, tudo isso não passa de uma grande bobagem, essas convenções foram criadas pelo próprio homem. Vai ver que nesse dia, sem nada para fazer, ele começou a catalogá-las, dando assim um valor  simbólico a cada uma. Eu não dispenso nenhuma delas.  Quer me dar um presente? Me dê floresssss.

Amendoeira em flor – Esperança
Amor-perfeito – Recordações
Açucena (botão) – Perdão
Camélia branca - Beleza perfeita
Camélia japonesa – Arrependimento
Camélia vermelha – Reconhecimento
Cidreira - Chamas de amor
Cardo santo - És intratável
Celidónia - Primeiro suspiro de amor
Cravo amarelo – Desdém
Cravo branco - Amor ardente. Ingenuidade.
Cravo amarelo – Desdém
Cravo vermelho - Amor vivo e puro
Cravo rosado – Preferência
Cravo seco – Desprezo
Crisântemo amarelo - Amor frágil
Cravo branco – Verdade
Cravo vermelho - Eu amo
Dália amarela - União recíproca
Dália matizada - Olhar enganador
Dália rosada – Delicadeza
Dália roxa - Tem piedade de mim
Dália vermelha - Os teus olhos queimam
Espinho de rosa - Seta de amor
Flor de alecrim - A tua presença dá-me forças
Flor de aloés – Obscenidade
Flor de castanheiro – Perfídia
Flor de laranjeira – Virgindade
Flor de lis - Beleza atraente
Flor de pessegueiro - Amor conjugal
Flor de romãzeira – Amizade e sincera
Flor de sabugueiro - O meu sofrimento vai matar-me
Gerânio escarlate – Consolo
Gerânio de rosa – Capricho
Gerânio silvestre - Devoção constante
Giesta – Desesperança
Hortênsia - És de uma grande frieza
Íris amarelo - Fogo de amor
Íris azul – Confiança
Íris branco - Esperança. Fidelidade.
Jacinto azul – Constância
Jacinto branco - Beleza discreta
Jacinto púrpura – Mágoa
Jasmim amarelo – Desilusão
Jasmim branco – Amabilidade
Junquilho – Desejo
Lavanda – Desconfiança
Lilás amarelo – Falsidade
Lilás branco – Inocência
Lilás silvestre – Humildade
Lírio amarelo – Falsidade
Lírio azul - Beleza caprichosa
Lírio branco - Doçura. Pureza.
Lírio silvestre - Regresso à felicidade
Lírio vermelho - Quem espera, desespera
Madressilva - Amor fraternal
Magnólia - Amor à Natureza. Simpatia
Maravilha branca - Medo de amar
Margarida grande amarela - Você me ama?
Margarida grande branca - Esqueço o que aconteceu
Margarida pequena amarela - Vou pensar
Margarida pequena branca – Inocência
Miosótis - Não me esqueças
Narciso - Egoísmo. Vaidade
Nenúfar - Pureza de coração
Papoila – Sonho
Peónia - Vergonha
Rosa amarela - Ciúmes. Infidelidade
Rosa branca – Sigilo
Rosa sem espinhos - Não posso resistir
Rosa vermelha - Amor apaixonado
Rosas, uma branca outra vermelha - O fogo do teu olhar queima o meu coração
Sempre-viva - Declaro-te guerra
Trevo de quatro folhas - Sê minha/meu
Túlipa amarela - Amor sem esperanças
Túlipa vermelha - Declaração de amor
Violeta - Lealdade


Beijos e flores a todos!


quarta-feira, 4 de maio de 2011

Arroz de Carreteiro

Gosto de cozinhar. E excepcionalmente hoje acordei com vontade de preparar algo simples,  um prato típico da minha terra. É o delicioso Arroz de Carreteiro. Quem provar vai querer repetir.

ARROZ DE CARRETEIRO

Ingredientes:

1 kg de carne seca
2 cebolas picadas
1 pimentão picado
2 tomates picados
1 colher de sopa de cheiro-verde
2 xícaras de chá de arroz
6 dentes de alho picados
1/2 limão
6 colheres de sopa de azeite
Sal a gosto

Modo de Preparar:

1. Deixe a carne seca de molho de vépera, troque a água e cozinhe até ficar macia
2. Desfie
3. Frite-a em uma panela com azeite
4. Quando a carne estiver dourada, coloque a cebola e o alho, o suco de limão
5. Junte o arroz e frite, depois acrescente o tomate e o pimentão
6. Acrescente a água fervente e cozinhe em fogo baixo até o arroz ficar macio
7. Salpique o cheiro-verde e sirva em seguida

Acompanhe com salada de alface, mandioca cozida, feijão carioquinha.

Porções: dá para até seis pessoas.

Hummmmmmmm, que delícia! Bom apetite!
*
Segue uma música como sobremesa.
****

Comeu?

Composição: Caetano Veloso

Ela comeu meu coração
Trincou, mordeu, mastigou, engoliu, comeu
Comeu
Ela comeu meu coração
Mascou, moeu, triturou, deglutiu, comeu
Comeu
Ela comeu meu coração de galinha no xinxim
Ai de mim!
Ela comeu meu coração de leão naquele sonho medonho
E ainda me disse que é assim que se faz
Um grande poeta
Uma loura tem que comer seu coração, não!
Eu só quero ser o campeão da canção
Um ídolo, um pateta, um mito na multidão
Uma loura tem que comer seu coração, não!
Eu só quero ser o campeão da canção
Um ídolo, um pateta, um mito na multidão
Mas ela não entendeu minha intenção
Tragou, dissolveu, degustou, digeriu
Comeu
Ela comeu meu coração
Trincou, mordeu, mastigou, engoliu, comeu
Comeu
Ela comeu meu coração
Mascou, moeu, triturou, deglutiu, comeu
Comeu
Ela comeu meu coração de galinha no xinxim
Ai de mim!
Ela comeu meu coração de leão naquele sonho medonho
E ainda me disse que é assim que se faz
Um grande poeta
Uma loura tem que comer seu coração, não!
Eu só quero ser o campeão da canção
Um ídolo, um pateta, um mito na multidão
Uma loura tem que comer seu coração, não!
Eu só quero ser o campeão da canção
Um ídolo, um pateta, um mito na multidão
Mas ela não entendeu minha intenção
Tragou, dissolveu, degustou, digeriu
Comeu
Mas ela não entendeu minha intenção
Tragou, dissolveu, degustou, digeriu
Comeu
Comeu
Comeu
Comeu
Comeu
Comeu
Comeu-meu-meu-meu-meu
Comeu-meu-meu-meu-meu
Comeu-meu-meu-meu-meu
Comeu
*

segunda-feira, 2 de maio de 2011

...porque CINEMA é a minha cachaça!



CACHAÇA CINEMA CLUBE

O que é?

Um cineclube com formato diferente. Além de privilegiar curtas-metragens brasileiros, após as sessões promove-se degustação de cachaça e uma festa com DJs e às vezes também com músicos.

Cada edição tem um tema específico, após a exibição dos filmes, acontece sempre um informal e acalorado debate.

Onde?

No tradicionalíssimo Cinema Odeon, na Praça Floriano nº 07 – Cinelândia – Rio de Janeiro-RJ.

Quando?

Todos os meses, sem dia do mês certo, mas sempre às quartas-feiras, às 21h. Por isso é preciso ficar atento.

Quanto?

R$ 12,00 (inteira) e R$ 6,00 (meia)

Quem organiza?

Débora Butruce, João Mors Cabral e Karen Black.

*****

Após as sessões, a noite segue com degustação da aguardente. Como eu não bebo... embriago-me apenas dos movies.

Segue um curta de Glauber Rocha - não sou fã dele, me desculpem, mas  que vale a pena dar uma conferida. Déjàvu...

domingo, 1 de maio de 2011

Cultura inútil?


I - Algumas coisas das quais nunca nos lembramos:

Os Sete Pecados Capitais:
Gula, Avareza, Soberba, Luxúria, Preguiça, Ira e Inveja.

Os Dez Mandamentos:
1º - Amar a Deus sobre todas as coisas;
2º - Não tomar o Seu Santo Nome em vão;
3º - Guardar domingos e dias de festa;
4º - Honrar pai e mãe;
5º - Não matar;
6º - Não pecar contra a castidade;
7º - Não furtar;
8º - Não levantar falso testemunho;
9º - Não desejar a mulher do próximo e
10º - Não cobiçar as coisas alheias.

Os Três Reis Magos:
1 - O árabe Baltazar: Trazia incenso, significando a Divindade do Menino Jesus
2 - O indiano Belchior: Trazia ouro, significando a Sua Realeza.
3 - O etíope Gaspar: Trazia mirra, significando a Sua Humanidade.

Os Doze Apóstolos:
1 - Simão Pedro;
2 - Tiago (o maior);
3 - João;
4 - Filipe;
5 - Bartolomeu;
6 - Mateus;
7 - Tiago (o menor);
8 - Simão;
9 - Judas Tadeu;
10 - Judas Iscariotes;
11 - André e
12 - Tomé.

Após a traição de Judas Iscariotes, os outros onze apóstolos elegeram Matias para ocupar o seu lugar.

Profetas do Antigo Testamento:
1 - Isaías;
2 - Jeremias;
3 - Jonas;
4 - Naum;
5 - Ageu
6 - Ezequiel;
7 - Daniel;
8 - Oséias;
9 - Joel;
10 - Obdias;
11 - Habacuque;
12 - Amós
...

Os Sete Sábios da Grécia Antiga:
1 - Sólon;
2 - Pítaco;
3 - Quílon;
4 - Tales de Mileto;
5 - Cleóbulo;
6 - Bias;
7 - Períandro.

As Musas da Mitologia Grega
(a quem se atribuía a inspiração das ciências e das artes):
1 - Urânia (astronomia);
2 - Tália (comédia);
3 - Calíope (eloqüência e epopéia)
4 - Polímnia (retórica);
5 - Euterpe (música e poesia lírica);
6 -Clio (história);
7 - Érato (poesia de amor);
8 - Terpsícore (dança) e
9 - Melpômene (tragédia)

As Sete Cores do Arco-íris:
Vermelho, Laranja, Amarelo, Verde, Azul, Anil e Violeta.

II - O QUE SEMPRE NOS PERGUNTAM:

AS SETE MARAVILHAS DO MUNDO:
1 - A Pirâmide de Queops;
2 - Os Jardins Suspensos da Babilônia;
3 - O Mausoléu de Helicarnasso (também conhecido como O Túmulo de Mausolo em É feso);
4 - A Estátua de Zeus, de Fídias;
5 - O Templo de Artemisa (ou Diana);
6 - O Colosso de Rodes;
7 - O Farol de Alexandria.

Você Sabia...?

1 - Durante a Guerra de Secessão, quando as tropas voltavam para o quartel após uma batalha sem nenhuma baixa, escreviam numa placa imensa:


"O Killed" (zero mortos). Daí surgiu a expressão O.K. Para indicar que tudo está bem.

2 - Nos conventos, durante a leitura das Escrituras Sagradas, ao se referir a São José, diziam sempre "Pater Putativus", (ou seja: "Pai Adotivo" ) abreviando em "P.P.".

Assim surgiu a idéia, nos países de colonização espanhola, de chamar os Josés de "Pépe".

3 - Cada rei no baralho representa um grande Rei/Imperador da história:

Espadas: Rei David (Israel);
Paus: Alexandre Magno (Grécia/Macedônia);
Copas: Carlos Magno (França);
Ouros: Júlio César (Roma).

4 - No Novo Testamento, no livro de São Mateus, está escrito "é mais fácil um camelo passar pelo buraco de uma agulha que um rico entrar no Reino dos Céus"... O problema é que São Jerônimo, o tradutor do texto, interpretou a palavra "kamelos" como camelo, quando na verdade, em grego, "kamelos" são as cordas grossas com que se amarram os barcos.
A idéia da frase permanecea mesma, mas qual parece mais coerente?

5 - Quando os conquistadores ingleses chegaram à Austrália, assustaram-se ao ver uns estranhos animais que davam saltos incríveis. Imediatamente chamaram um nativo (os aborígenes australianos eram extremamente pacíficos) e perguntaram qual o nome do bicho. O índio sempre repetia "Kan Ghu Ru", e portanto o adaptaram ao inglês, "kangaroo" (canguru). Depois, os lingüistas determinaram o significado, que era muito claro: os indígenas queriam dizer: "Não te entendo".

6 - A parte do México conhecida como Yucatán vem da época da conquista, quando um espanhol perguntou a um indígena como eles chamavam esse lugar, e o índio respondeu "Yucatán". Mas o espanhol não sabia que ele estava informando "Não sou daqui".

7 - Existe uma rua no Rio de Janeiro, no bairro de São Cristovão, chamada "PEDRO IVO". Quando um grupo de estudantes foi tentar descobrir quem foi esse tal de Pedro Ivo, descobriram que na verdade a rua homenageava D. Pedro I, que quando foi rei de Portugal, foi aclamado como "Pedro IV" (quarto). Pois bem, algum funcionário da prefeitura, ao pensar que o nome da rua foi grafado errado, colocou um "O" no final do nome.

O erro permanece até hoje...